ÔNIBUS VOLVO SÃO TRANSFORMADOS EM DELEGACIAS MÓVEIS PARA AS CIDADES-SEDE DO CAMPEONATO MUNDIAL DE FUTEBOL

Programas de Manutenção Volvo no Verão | Mobilidade Volvo

QAs cidades-sedes dos jogos do mundial, no Brasil, terão um esquema de segurança reforçado. Doze ônibus Volvo com carroceira especial desenvolvida pela Comil irão operar como Delegacias Móveis ao redor dos estádios onde ocorrerão os jogos.

A configuração dos ônibus com o modelo Campione 3.45 da Comil conta com equipamentos e detalhes internos para atender às necessidades da Sesge (Secretaria Extraordinária de Segurança de Grandes Eventos). A área interna possui um escritório completo, cela com capacidade para dois detentos e equipamentos para conexão via satélite e internet para a comunicação entre as polícias locais, estaduais e federal.

O modelo rodoviário escolhido para a aplicação foi o Volvo B290R. O veículo é fácil de ser encaroçado e seu chassi é fabricado com um tipo de aço especial, mais leve e resistente, permitindo ao conjunto robustez, agilidade e maior capacidade de carga.  O veículo caracteriza-se pela alta disponibilidade, segurança, economia de combustível e baixa emissão de poluentes.

 

“O B290R é um modelo extremamente versátil, com versão rodoviária, urbana e de fretamento que pode ser adaptado para diferentes tipos de aplicações”, destaca Jefferson Cunha, gerente de ônibus rodoviários da Volvo Bus Latin America.

Os chassis foram adquiridos pela Comil por meio de licitação, para atender ao pedido do Ministério da Justiça. Todas as unidades já foram entregues e os agentes de segurança que irão operar esses veículos passaram por treinamento oferecido pela Comil e pela Volvo.

Segundo o gerente de vendas ao governo e relações institucionais da Comil, João Luís Souza Amado, a escolha da Volvo se deve à perfeita adequação dos atributos de seu chassi ao projeto da unidade móvel. “O chassi mostra-se absolutamente aderente às necessidades do projeto”.

Após a realização do campeonato mundial de futebol, as Delegacias Móveis deverão permanecer à disposição das cidades-sede para uso das Secretarias de Segurança Pública de cada Estado.  Outras cidades devem adotar soluções semelhantes. Em Brasília, por exemplo, haverá um reforço.